sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Números Animados

A cobra comilona
Era uma vez uma cobra que comia tudo o que havia.
Comia: cadeiras, lixo, casas, relva, árvores, escolas, pessoas, outras minhocas, outros bichos e outras cobras.
A cobra comilona um dia estava a rastejar e formou um e 3.
Ao formar um 3 a cobra ficou com muitas cores.
A cobra deixou de ser cobra e ficou um 3 para sempre.
Foi assim que nunca mais existiu aquela cobra.
Diogo

O Sete na camisola
Era uma vez um Sete que andava na camisola do Cristiano Ronaldo.
Ele era um jogador de Portugal que já tinha muitas taças.
O Sete saiu da camisola dele. O Cristiano Ronaldo tinha ido para o futebol.
O Sete chegou a casa e contou uma história ao Cristiano Ronaldo.
- Eu era um Sete normal quando um senhor me criou para me pôr nesta tua camisola de Portugal. Sempre que ias treinar com os teus amigos, eu punha-te um sete falso e eu tinha sempre que limpar a tua casa. Até hoje eu não te contei porque achava que era muito cedo.
Irina
Era uma vez um número dez. Ele vivia dentro de um livro de matemática. O livro era de um menino. Como a professora não disse que era para levar o livro para casa, o menino deixou-o na escola.
Então quando a escola fechou, os números saíram dos livros e fizeram uma festa.
O número dez cantou uma música. Quando a escola abriu eles entraram para o livro novamente.
Bernardo
O meu número preferido
Era uma vez no Euro-Milhões o número 10 que queria ser escolhido.
Às 21 horas eram horas do Euro-Milhões começar e as máquinas começaram a girar.
Os números escolhidos foram 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11.
O primeiro prémio saiu ao Sr, 10, o segundo ao Sr 9.
O Sr 10 ficou muito feliz por ter sido escolhido e por lhe ter calhado o 1º premio.
No Totoloto também foi escolhido o número 10.
Agora, é por isso que as pessoas jogam sempre no 10 e este ficou o número mais escolhido e conhecido do mundo.
Gonçalo
Numero Animado
Uma dia o número 25 foi a Quinta da Cepeda.
Queriam marcar o seu casamento para dia 25 de Fevereiro de 2009.
Quando se iam casar, apareceu uma grande tempestade e todos os números tinham que se esconder dentro de um livro ou de um estojo.
A verdade é que antigamente os números tinham que se esconder, porque em vez de caçar animais, caçavam números.
Mas o casamento foi feito dentro do livro e todos fizeram uma festa para o casal 25, com balões e serpentinas a acompanhar com bolo.
Joana
Um número desaparecido
Era uma vez dez números que estavam colocados num telefone. De repente, o número chamado Sete, viu que o seu companheiro Oito, o seu amigo preferido, não estava ao seu lado.
O Sete ficou muito triste e disse a todos os seus amigos que eles tinham que encontrar o seu amigo Oito.
Então, todos os números e amigos do Sete, vestiram-se de turista e lá foram pela casa á procura do seu amigo Oito.
Eles procuraram na sala, na cozinha mas não viram nada.
Quando chegou a noite, o Sete não quis dormir e então ficou acordado a noite toda.
A meio da noite, o Sete viu uma portinha que dizia “Caminho para o mundo dos extraterrestres”. A porta ia fechar-se.
Então o Sete correu o mais que pôde para ir lá para dentro procurar o seu amigo Oito.
Depois de ter entrado, ele viu umas naves a voar e também viu o Oito encostado a uma parede. E o Sete foi ter com ele.
Então o Oito contou-lhe que ele não o tinha deixado comer o gelado de morango e o Sete deixou-o comer os que quisesse.
Sérgio

2 comentários:

EB1 de Cadoços disse...

Olá!
Queremos nomear este blog para o prémio "Olha que Blog Maneiro".
Passem no nosso blog para mais informações.

http://eb1-cadocos.blogspot.com/

Inês disse...

Olá professora Beatriz:
Eu gostei dos números animados.
Estou a ver que se esforsáram muito!
ppppppppppparabéns!